Mensagem Especial

Uma reflexão apropriada para o novo ano!

Carta à família reformista

 

“Ebenézer”. Como o profeta Samuel, podemos falar de 2016: “Até aqui nos ajudou o Senhor”. Mais um ano da nossa lida terrestre se aproxima de seu fim. Um ano a mais se soma à nossa história. Para alguns, pode ser que 2016 seja marcado por angústia, tristeza ou perda. Para outros, pode ser um ano de alegrias e vitórias. Para os cristãos, um ano a menos de espera, um ano mais perto do Céu. Devemos agradecer ao nosso Deus por ter nos permitido viver mais um ano, ainda que cheio de provações. As provas nos preparam para grandes vitórias.

Acompanhando os acontecimentos mundiais, ficamos apreensivos. Ouvimos muito a palavra “crise”. Crise financeira, crise política, crise mundial... Este ano foi particularmente agitado no Brasil. Mudança de governo, eleições, corrupção, insegurança e desemprego. Temos a sensação que nossa vida piorou. No cenário mundial também surgiram situações alarmantes. Catástrofes, fome, guerras e milhões de refugiados procurando um novo lar. Têm subido ao poder homens que provocam insegurança, tanto política quanto econômica. E no mundo religioso também temos visto movimentações que buscam a união das igrejas em torno de um único propósito, o de seguir apenas a um líder. O que nos dizem estes fatos? Que o fim está próximo.

Em vez de nos deixar preocupados ou desesperados, essas coisas devem produzir grande alegria. “Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima” (Lucas 21:28).  Jesus animou Seus discípulos e Suas palavras também podem nos trazer conforto. Ao rejeitarem a Palavra de Deus, os habitantes deste mundo fizeram suas escolhas e a degradação da Terra é consequência disso. “Mas nós, segundo a Sua promessa, aguardamos novos céus e nova Terra, em que habita a justiça” (2 Pedro 3:13). “Levantai-vos, e andai, porque não é aqui vosso lugar de descanso [...]” (Miqueias 2:10). Nosso encontro com Jesus em glória se aproxima rapidamente, e isso é motivo de grande alegria.

É necessário preparo para esse encontro. Jesus virá buscar Seus escolhidos e pôr um fim a essa grande confusão mundial. Mas Ele levará apenas aqueles que O aguardam.  “Temos de, aqui, tornar-nos semelhantes a Cristo, e conhecê-lO como Salvador presente e pessoal. [...] Só olhando a Jesus, o Cordeiro de Deus, e seguindo-Lhe os passos, podereis preparar-vos para o encontro com Deus. [...] Vê-lO-emos face a face, se agora nos sujeitarmos a ser por Ele moldados e adaptados, em preparo para um lugar no reino de Deus.” — O cuidado de Deus, p. 165.

Além do preparo pessoal, impende sobre nós, como igreja e individualmente, a responsabilidade de contar a outros sobre esse grande acontecimento. Muitas pessoas ainda não sabem que a volta de Jesus é real e pensam nisso como ficção. Através da nossa vida e nosso empenho, eles podem tomar sua decisão enquanto a porta da graça ainda estiver aberta.

“Repousa sobre nós a pesada responsabilidade de advertir o mundo quanto ao juízo iminente. [...] Um mundo a perecer no pecado deve ser iluminado. A pérola perdida deve ser achada. A ovelha perdida deve ser conduzida de volta, em segurança, para o curral. Quem se unirá aos que vão buscá-la? Quem erguerá a luz aos que tateiam nas trevas do erro?” — Evangelismo, p. 16.

O trabalho de evangelismo pessoal, individual, é agora de vital importância para a salvação dos impenitentes, bem como de nossa própria salvação. Somos grandemente abençoados quando trabalhamos pelos outros. Não devemos ser apenas “papa-sermões”. Não podemos nos acomodar e confiar que outros façam o trabalho. Pastores e obreiros não podem fazer o trabalho dos membros. Cada um tem sua responsabilidade.

“Em vez de conservar os pastores trabalhando pelas igrejas que já conhecem a verdade, digam os membros das igrejas a esses obreiros: ‘Ide trabalhar pelas almas que perecem nas trevas. Nós mesmos levaremos avante os trabalhos da igreja. Nós realizaremos as reuniões, e, estando em Cristo, manteremos vida espiritual. Trabalharemos pelas almas que estão ao nosso redor, e elevaremos nossas orações e mandaremos nossas ofertas para manter os obreiros nos campos mais necessitados e destituídos de auxílio’.” — Evangelismo, p. 382.

Um novo ano está aberto diante de nós. Criamos muitas expectativas para 2017. Projetos pessoais, familiares e profissionais são importantes e necessários, mas as decisões espirituais são as mais importantes. Quero propor dois alvos essenciais para o próximo ano:

Primeiro, que todos os membros e igrejas se empenhem em estudar as profecias, fortalecendo a própria fé e a dos novos conversos. “Não havendo profecia, o povo perece; porém o que guarda a Lei, esse é bem-aventurado” (Provérbios 29:18). O segundo alvo, que cada membro da igreja seja um missionário, testemunhando de Jesus e falando do amor de Deus e das profecias que estão para se cumprir. “Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente” (Daniel 12:3).

Queridos irmãos reformistas, grande é nosso privilégio! Conhecer essa maravilhosa mensagem da salvação em Cristo Jesus e ter a certeza de Sua volta para nos buscar deve nos encher de júbilo e alegria. Nossas lutas terão fim e uma vida de eterna felicidade estará diante de nós.

 “Quão grande será a alegria quando os remidos do Senhor se encontrarem — reunidos nas mansões para eles preparadas! Oh, que regozijo para todos os que têm sido imparciais e desinteressados cooperadores de Deus em levar avante a Sua obra na Terra! Que satisfação terão todos os ceifeiros quando se ouvir a voz clara e musical de Jesus dizendo: ‘Vinde, benditos de Meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. Entra no gozo do teu Senhor’ (Mateus 25:34 e 21).” — Conselhos sobre mordomia, p. 348.

Que Deus abençoe cada um de vocês e que 2017 seja repleto de vitórias espirituais.

Pr. Aroldo Gessner

Presidente da União Sul Brasileira