Seminário Unificado das Uniões Brasileiras

1º seminário conjunto de pastores e obreiros das Uniões Norte e Sul Brasileiras. Maior encontro de missionários do Brasil nos últimos 30 anos.

“E sacrificaram, no mesmo dia, grandes sacrifícios e se alegraram, porque Deus os alegrara com grande alegria; e até as mulheres e os meninos se alegraram, de modo que a alegria de Jerusalém se ouviu até de longe” (Neemias 12:43).
 
Os dias 13 a 19 de março de 2017 foram históricos para a obra do Movimento de Reforma no Brasil. Desde que a antiga União Brasileira foi dividida em Norte e Sul, em 1987, os pastores e obreiros que desde então trabalham cada qual em sua própria união nunca mais se reencontraram em um evento oficial.
O pr. Rômulo Borges, secretário da Conferência Geral para a América do Sul, deu abertura aos trabalhos na manhã de segunda-feira, relembrando as duas últimas reuniões da antiga União Brasileira em 1986 e 1988, respectivamente. Em seguida, o pr. Davi P. Silva pronunciou uma nota de apreciação, seguido dos pastores Matheus Souza (presidente da União Norte Brasileira) e Aroldo Gessner (presidente da União Sul Brasileira). O pr. Aroldo acrescentou: “Arrisco-me a afirmar que este é o maior encontro já visto de pastores e obreiros (entre atuantes e jubilados) em território nacional, com cerca de 300 irmãos. Nem a assembleia da Conferência Geral absorve tanta gente”.
O tema do evento foi "Preparando e apressando a volta de Jesus". O pr. Davi P. Silva foi quem deteve a maior parte das palestras. Ele presidiu o evento com o objetivo de aconselhar o imenso corpo de vocacionados acerca dos obstáculos que têm impedido a obra de avançar de forma mais efetiva. 
Todas as participações e palestras foram muito importantes, abordando pontos enfrentados no dia a dia dos vocacionados em nosso País. Além das palestras de aconselhamento, foram abordadas revisões litúrgicas da igreja, assim como foram dirigidos apelos para uma maior seriedade e consagração. Apresentaram-se, além disso, projetos em nível nacional para o avanço da obra evangelística. 
O clima entre irmãos foi muito agradável. Era possível perceber a alegria no rosto de muitos ao reencontrar amigos e irmãos que trabalham em campos distantes. Essa alegria foi ampliada pela presença dos pastores e obreiros jubilados (que já não estão mais atuando diretamente na causa devido ao tempo de serviço).
Que o Senhor Deus seja louvado pela reunião, e que não precisemos esperar mais 30 anos para um próximo reencontro.